O que fazer com os pertences de quem faleceu?

O que fazer com os pertences de quem faleceu?

Depois do falecimento de um ente querido, ter contato com seus pertences pessoais pode ser uma experiência dolorosa. Pode levar muitos meses até que você esteja emocionalmente pronto para realizar a tarefa de esvaziar seus armários e dar um destino a tudo que pertencia a ele.

A quantidade de tempo necessária entre a morte e a capacidade de decidir o que fazer com os pertences varia de acordo com fatores emocionais. Por exemplo, uma mãe que perdeu um filho terá mais dificuldade de se desfazer dos brinquedos da criança.

Lembre-se de que, assim como cada relacionamento é único, cada jornada de luto também é. Não deixe que os outros o julguem por não se sentir pronto para assumir essa tarefa. Então, se não houver pressões externas, como a necessidade de vender uma casa, espere até se sentir forte o suficiente e pronto para se desfazer de pelo menos alguns dos itens.

A pessoa tinha testamento?

O processo que você precisa seguir para lidar com os bens do falecido depende das instruções que ele deixou especificado em testamento. Antes de fazer qualquer outra coisa, você deve procurar o testamento ou alguma carta que ele tenha deixado. Se não houver testamento, e você assumiu a responsabilidade de decidir o que fazer com os pertences do falecido, siga em frente.

Você também pode pedir a outros membros da família para ajudá-lo a separar os itens que serão aproveitados, doados ou jogados fora. Você também pode ver se eles gostariam de manter alguma coisa para si ou para sua família. 

O que fazer com os pertences de um ente querido

Abaixo estão algumas sugestões para ajudar você a decidir o que fazer com os pertences de quem faleceu.

– Escolha um lugar para guardar ou exibir os objetos preciosos que você ficou para lembrar-se de seu ente querido e descarte as coisas que não são imediatamente úteis ou sentimentalmente importantes.

– Separe tudo que você deseja doar para uma instituição de caridade (roupas, calçados, acessórios, móveis ou outros itens).

– Jogue fora o que não terá mais utilidade.

Não se sinta culpado por descartar ou doar os pertences de quem partiu. O mais importante é manter as boas lembranças em sua memória. Os bens materiais serviram bem em vida ao seu ente querido, e não é sua responsabilidade mantê-lo para sempre. Todos seus pertences foram úteis para ele, mas se não forem úteis para você, doe-os sem culpa.

Veja também: Benefícios do planejamento pré-funeral

CCR – Plano de Assistência Familiar  

A CCR disponibiliza um plano que além de oferecer a cobertura do funeral, também fornece alguns benefícios para a família como o empréstimo de produtos para reabilitação (muleta, andador, cadeira de rodas, cama hospitalar, entre outros).

A CCR possui três unidades de atendimento, nos municípios de Flores da Cunha, Nova Pádua e Nova Roma do Sul. Nosso principal objetivo é disponibilizar as famílias o máximo de conforto, carinho, respeito e profissionalismo em momentos difíceis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.